Orientação de doutorado

 

A partir de 2017 o professor vai orientar, nos programas de pós-graduação em filosofia da UFSC e da UnB, apenas teses de doutorado.

 

Seus interesses são em:

  • Filosofia da mente
  • Ontologia contemporânea
  • Filosofia da psicologia
  • Filosofia das ciências sociais
  • Autores das tradições pragmatista e analítica, especialmente Dewey e Quine

 

Sobre os projetos, observar o seguinte:

Podem ser sobre temas ou autores. Para esclarecimentos, consulte a página do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFSC e a página do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UnB; ou consulte o professor diretamente: luiz.dutra@ufsc.br ou lhdutra@cfh.ufsc.br.

No caso de um tema, mais de um autor deve ser escolhido para o desenvolvimento. No caso de um autor, que não seja apenas um estudo interno e genérico de seu pensamento, mas a discussão de um ou mais temas específicos discutidos por ele, estudados em comparação com outros autores.

O projeto deve ser elaborado de forma clara e o mais concisa possível, contendo as seguintes partes essenciais:

  1. Discussão preliminar, breve, contextualizando o tema da futura tese, p. ex., em relação a outros assuntos de filosofia (e história da ciência, quando for o caso).
  2. Delimitação específica do tema, já fazendo certa revisão bibliográfica, no que isso for possível.
  3. Bibliografia inicial com obras já consultadas ou já identificadas como fontes de referência importantes sober o tema específico.

No todo, o projeto não deve ultrapassar 20 páginas. O importante não é o volume de páginas do projeto, mas a clareza da exposição. Há assuntos que requerem mais espaço para serem explicados, outros menos. Assim, o candidato deve julgar onde deve se estender mais, e onde não.

Veja também as informações gerais dos programas de pós-graduação em filosofia da UFSC e da UnB, sobre a seleção para o doutorado.