Livros

capa-ITC-4aed
  • Introdução à teoria da ciência
  • 4a. edição revista e ampliada
  • Florianópolis: Editora UFSC, 2017 (3a. ed., 2009; 2a. ed., 2003; 1a. ed., 1998)
  • ISBN: 978-85-328-0790-8 (4a. ed., 2017)

O livro procura dar uma visão panorâmica dos principais problemas enfocados pelos filósofos da ciência no século XX, propiciando a alunos de final de graduação e início de cursos de pós-graduação uma compreensão atualizada e concisa desses temas. Quatro problemas principais são tratados: (a) o teste, para confirmação ou infirmação, das teorias, (b) o progresso da ciência, e (c) as explicações científicas, e (d) a aceitação das teorias científicas. Em todos esses temas, o livro descreve as principais teorias apresentadas pelos mais eminentes filósofos da ciência, traduzindo-as para uma linguagem acessível. Há também um capítulo dedicado ao tema dos modelos científicos. São comentadas as idéias de autores desde o início do século, como os positivistas lógicos, sobretudo Rudolf Carnap, até autores atuais, que ainda estão produzindo textos importantes, como Bas van Fraassen e Nancy Cartwright, passando por nomes consagrados da epistemologia, como Karl Popper, Thomas Kuhn e W. v. O. Quine. O livro foi concebido para orientar um semestre inteiro de estudo para alunos de filosofia ou de áreas científicas.

filing-2aed-capa
  • Filosofia da linguagem
  • Introdução crítica à semântica filosófica
  • Florianópolis: Editora UFSC, 2a. ed., 2017; 1a. ed., 2014
  • ISBN: 978-85-328-0789-2 (2a. ed.)

Este livro apresenta as principais concepções da significação (referência ou denotação de termos e significado de sentenças ou orações) que há na literatura especializada na tradição analítica, avaliando criticamente essas concepções, pondo em destaque seus pontos fortes e suas limitações. O livro pode ser utilizado em disciplinas de filosofia da linguagem em nível de graduação ou pós-graduação, contendo questionários no final de cada capítulo e sugestões de trabalhos dissertativos sobre os principais temas relacionados com as noções por meio das quais os filósofos procuram compreender a significação. 

 pdm
  • Pragmática de modelos
  • Natureza, estrutura e uso dos modelos científicos
  • São Paulo: Edições Loyola, 2013
  • ISBN: 978-85-15-04043-8

O livro recapitula a principal literatura sobre modelos científicos no século XX e propõe uma nova concepção (pragmática) dos modelos científicos abstratos em suas relações com os modelos concretos e com as teorias científicas, em especial nas ciências humanas. Em seus diversos capítulos, o livro aborda os temas dos modelos semânticos (dos lógicos) e modelos matemáticos, das analogias e metáforas, examina as noções já apresentadas na literatura, como: modelos nômicos, sistemas físicos ideais, máquinas nomológicas, mediadores e simulações. Nos últimos três de seus dez capítulos, trata, respectivamente, das questões ontológicas ligadas aos modelos abstratos, interpretando-os como realidades culturais, construídas por nós, mas relativamente autônomas, reformula o modelo geral de investigação apresentado no livro Pragmática da investigação, destacando os diversos tipos de modelos mais ou menos abstratos, e mais ou menos concretos que são utilizados nas ciências e, finalmente, aborda o tema do uso de modelos nas ciências humanas.

 tecon
  • Teoria do conhecimento
  • Florianópolis: Edição do EAD/Filosofia/UFSC, 2012 (2a. ed.), 2008 (1a. ed.)
  • ISBN: 978-85-61484-26-2 (2a. ed.); 978-85-61484-01-9 (1a. ed.)

O livro trata das principais questões epistemológicas desde os autores modernos, como Descartes, os empiristas britânicos, Kant, assim como filósofos do século XIX, como Comte e J. S. Mill, chegando a autores do século XX, como B. Russell, os positivistas lógicos e os pragmatistas americanos. Examina também as questões de origem e fundamentação do conhecimento humano em relação com as noções de verdade e de certeza.

 iae
  • Introdução à epistemologia
  • São Paulo: Editora UNESP, 2010
  • ISBN: 978-85-393-0054-9

O objetivo do livro é apresentar ao leitor as principais questões relativas à teoria do conhecimento ou epistemologia, tanto de um ponto de vista conceitual quanto histórico, remontando aos autores modernos, como os racionalistas e os empiristas, e vindo até autores contemporâneos. O livro pode ser utilizado em disciplinas de graduação ou início da pós-graduação em filosofia, e é útil também para aqueles que desejam uma visão ao mesmo tempo ampla e atualizada dessa área de estudos.

 pic
  • Pragmática da investigação científica
  • São Paulo: Edições Loyola, 2008
  • ISBN: 978-85-15-03459-8

O objetivo do livro é esboçar uma teoria externista da investigação científica que leve em consideração sobretudo os aspectos contextuais e institucionais do conhecimento humano, sem perder o foco das questões tradicionais que nortearam os filósofos da ciência ao longo do século XX. São examinadas questões relativas aos instrumentos lógicos e linguísticos envolvidos na investigação, à relação entre teorias científicas e modelos, leis e enunciados nomológicos ou funcionais em geral, teleologia e intencionalidade, assim como questões ontológicas e conceituais envolvidas na investigação científica, como: entidades, indivíduos, espécies naturais; por fim, um modelo da investigação é apresentado, estendendo e complementando o padrão de investigação defendido por Dewey e aplicando esse novo modelo a um estudo de caso, a saber, a investigação de Claude Bernard que conduziu à descoberta da função glicogênica do fígado e à elaboração da teoria do meio interno.


 opfil
  • Oposições filosóficas
  • A epistemologia e suas polêmicas
  • Florianópolis: Editora UFSC, 2005
  • ISBN: 85-328-0327-X

O livro dedicado aos grandes temas da teoria do conhecimento, tendo como fio condutor algumas das doutrinas epistemológicas que desafiaram as posições hegemônicas nessa área ao longo de séculos, desde a época moderna. Em seus seis capítulos, este livro examina de forma crítica as seguintes posições: ceticismo, positivismo, naturalismo, instrumentalismo, behaviorismo e pragmatismo. Cada uma delas, a seu modo, e em conexões com as outras, procurou denunciar as limitações das teorias do conhecimento excessivamente otimistas e idealizadoras do saber humano, que o conceberam como um produto etéreo da mente humana, desconectado das atividades comuns, nas quais, de fato, ele nasce e se desenvolve. Assim, de maneira complementar, as doutrinas examinadas neste livro auxiliam a ver o saber humano como o resultado da interação dos seres humanos entre si e com seu ambiente natural e social, com sua história e com os projetos e instituições que guiam nossa ação no mundo.

 berna
  • A epistemologia de Claude Bernard
  • Campinas: CLE/UNICAMP, 2001
  • ISSN (Coleção CLE): 0103-3147

Este livro procura apresentar Claude Bernard (1813-1878) como um epistemólogo, diferindo, portanto, da grande maioria dos trabalhos sobre esse autor. Contemporâneo de Pasteur e discípulo de Magendie, Bernard se insere na tradição científica francesa que remonta a Lavoisier e Laplace. Foi premiado duas vezes pela Academia de Paris por seus trabalhos, uma delas pela descoberta da função glicogênica do fígado. Bernard é o pai da fisiologia moderna e o responsável por algumas das principais noções desta disciplina, como meio interno e secreção interna. Sua influência sobre os destinos da fisiologia se estende ao século XX, através de seus discípulos, em especial Brown-Séquard, no campo da endocrinologia. Ao lado de suas descobertas e de suas realizações teóricas relevantes na área de biologia, às quais se soma a unificação da zoologia e da botânica, Bernard possui diversas reflexões sobre os próprios fundamentos da medicina e da biologia, em particular da fisiologia experimental, e das ciências e do saber humano em geral. São essas idéias epistemológicas que esse livro procura apresentar e reconstituir em um esquema geral que as torna comparáveis com aquelas de filosóficos profissionais. Bernard antecipa muitas das discussões dos filósofos da ciência do século XX.

 verda
  • Verdade e investigação
  • O problema da verdade na teoria do conhecimento
  • São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 2001
  • ISBN: 85-12-79090-3

Este livro apresenta algumas das principais teorias da verdade propostas no século XX e, à luz dessas teorias, discute alguns problemas epistemológicos de importância capital, como a confirmação de teorias e o papel que a noção de verdade desempenha em nossas investigações, como uma ferramenta metodológica. Uma concepção alternativa da verdade é proposta, resultando de uma análise de procedimentos investigativos e dos contextos de pesquisa por eles estabelecidos. A investigação e o conhecimento são retratados como formas do comportamento humano que estão estreitamente associadas ao emprego da noção de verdade. Esta concepção alternativa é comparada com as posições tradicionais de lógicos o epistemólogos a respeito da verdade, e do conhecimento. Procurando também resgatar nossa compreensão comum sobre o significado do termo ‘verdadeiro’, analisa-se a noção de verdade como acordo e o papel metodológico que ela desempenha em nossas investigações.

 epist
  • Epistemologia da aprendizagem
  • Rio de Janeiro: Editora DP&A, 2000
  • ISBN: 85-7490-015-X

A epistemologia é tradicionalmente uma disciplina filosófica que estuda o conhecimento humano em seus aspectos puramente lógicos, por exemplo, tematizando a relação entre uma afirmação feita e as evidências que a apóiam, e dexiando de lado os aspectos psicológicos envolvidos nos processos cognitivos, entre eles, a aprendizagem. As teorias da aprendizagem, por sua vez, via de regra, restringem-se aos domínios da pedagogia e da psicologia, levando em conta apenas os processos efetivos por meio dos quais os indivíduos se apropriam de determinados conteúdos ou adquirem certas habilidades. Uma epistemologia da aprendizagem , cujos fundamentos são apresentados neste livro, deve, ao contrário, procurar elaborar uma teoria do conhecimento humano a partir de nossas práticas investigativas e educacionais. A aprendizagem é retratada aqui como um processo de investigação e produção de conhecimento.